Um espaço bastante sugestivo e diversificado...
Acessos: contador de acessos grátis

Arquivo do blog

domingo, 28 de novembro de 2010

"Verde lagarto amarelo" (Lygia Fagundes Telles)

(...) "Com a ponta da língua pude sentir a semente apontando sob a polpa. Varei-a. O sumo ácido inundou-me a boca. Cuspi a semente: assim queria escrever, indo ao âmago do âmago
até atingir a semente resguardada lá no fundo como um feto".
(Verde lagarto amarelo)

Sobre suas obras:

Sua obra versa sobre as experiências humanas, sobretudo as experiências interiores.
É através da solidão – drama particular da maioria de seus personagens – que ela nos apresenta, através da análise dos sentimentos e das percepções de suas personagens, o conflito entre o mundo objetivo e o subjetivo, o real e o ideal. A autora utiliza monólogos interiores – recurso estilístico paraliterário, também chamado fluxo de consciência - como fonte de conhecimento das personagens. O desenrolar das tramas é estruturado em detalhes calculados, deixando em cada gesto marcas de uma personalidade ou de uma situação. A configuração física do ambiente nos enredos é secundária, o foco é a posição interna assumida pelas personagens diante dos episódios.
É assim em Ciranda de pedra, primeiro romance da autora. Virginia, personagem principal, é uma garota solitária, filha de pais separados. Após a separação dos pais, vai morar com sua mãe, que logo adoece. Virgínia passa a morar com os pais e as duas irmãs, num ambiente movimentado e hostil. O nome que dá título ao livro refere-se a uma roda de anões de pedra que ornamenta o jardim da casa, ciranda da qual Virgínia não pode participar. A ciranda de pedra representa simbolicamente o mundo interior da personagem e encerra o núcleo do tema: o sentimento de rejeição.
O tema da rejeição está presente também em O verão no aquário, segundo romance da autora, onde o centro das tensões também é a família. O foco dessa análise psicológica profunda está sempre nas personagens femininas. As personagens masculinas da literatura de Lygia Fagundes Telles são, geralmente, representantes simbólicos de funções sociais ou de poder, riqueza e status, não possuindo contornos marcantes como as femininas.

Link:http://www.releituras.com/lftelles_bio.asp

Nenhum comentário:

Ludwig Wittgenstein

"Os limites da minha linguagem são os limites de meu mundo" (Ludwig Wittgenstein)



Artur da Távola

"Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo da sua janela. Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio." (Artur da Távola)

Kahlil Gibran

"Ninguém pode conviver sozinho com a beleza que é capaz de perceber. E quanto a nós, que buscamos o Absoluto, e que construímos um jardim usando a nossa própria solidão, a vida nos deixou a imensa paixão para aproveitar cada instante, com toda a intensidade." (Kahlil Gibran)

Fernando Pessoa

"Para ser grande, sê inteiro:Nada teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és. No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda brilha,
Porque alta vive." (Fernando Pessoa)

Walter Grando

"O ideal é que sejamos menos seguidores de rastros... e mais formadores de caminhos." ( Walter Grando )

Letícia Thompson

“Cada dia quando fechamos a porta do último minuto e nos preparamos para o dia seguinte, é uma vitória alcançada!” (Letícia Thompson)

Cecília Meireles

"Aprendi com as Primaveras a me deixar cortar para poder voltar sempre inteira." (Cecília Meireles)

Caio F. Abreu

‎"Num deserto de almas também desertas, uma alma especial reconhece de imediato a outra." (Caio F. Abreu)

Martha Medeiros

‎"Onde, afinal, é o melhor lugar do mundo? Dentro de um abraço." (Martha Medeiros)

Ralph W. Emerson

"Você não consegue fazer uma bondade cedo demais, pois você nunca sabe quando será tarde demais" (Ralph W. Emerson)

Sócrates

"A alegria da alma constitui os belos dias da vida, seja qual for a época" (Sócrates)

Bob Marley

"Vamos dar espaço para o dia positivo, porque é um novo dia, um novo tempo e um novo sentimento." (Bob Marley)

Guimarães Rosa

"Quando eu morrer que me enterrem na beira do chapadão contente com minha terra cansado de tanta guerra crescido de coração." (Guimarães Rosa)

Faith Baldwin

"O tempo é um costureiro especializado em alterações" (Faith Baldwin)

Rose Kennedy

"A vida não é uma questão de marcos, mas de momentos..."(Rose Kennedy)